Scream

Quantas vezes é que aquilo que compreendemos é igual ao que ouvimos? Estou aqui, estou a gritar, não me ouves? Cada vez que os meus olhos se cruzam com os teus, é um grito. Cada vez que digo o teu nome, é um grito. Cada vez que te ignoro, que finjo que não me importo, é um grito. Cada vez que sorrio, é um grito. Grito tanto que já não tenho forças para simplesmente falar e sussurrar-te ao ouvido, para que as palavras não escapem e sejam só nossas. 

Where are you?

Onde está a pessoa que me olhava com ternura, que se demorava a olhar para mim, como se temesse que eu não fosse real, que fosse escapar a qualquer momento? Que me olhava como se quisesse absorver e decorar cada parte de mim? Cujo amor não precisava de ser dito, era sentido em cada toque, sorriso, olhar? Onde ficou a pessoa que me implorava por mais, que não me queria deixar ir? Desapareceu, deu lugar a alguém diferente. Quero encontrá-la e não consigo. Olhas para mim mas deixaste de me ver. Tocas-me mas as tuas mãos já não me pedem para ficar. 

Lift Me Up

Às pessoas simples. Que irradiam luz e boas energias. Que são sinceras e riem com facilidade. Que te protegem e acolhem sem perguntas, que se adaptam perfeitamente a ti. Às pessoas boas, de coração gigante, que criam momentos inesquecíveis. Às pessoas que te permitem seres tu próprio, sem medos nem segundos pensamentos. Que te fazem acreditar. Que sonham contigo. Que sabem o que é o amor. Às diferenças e pontos em comum. Às amizades que nascem dos sítios mais inesperados e às gargalhadas que te levam às lágrimas. Ao que a vida tem de melhor. ♥

Losing Game

Tenho que me esquecer de ti. Não posso continuar nisto, vou dizer-te adeus, ao que tivemos, ao que podíamos ter sido. Aos meus sonhos e esperanças que não passam disso. É difícil quando é só uma pessoa a lutar. É exaustivo, custa tanto. Quem me dera não ter de virar costas a isto. Mas nunca resulta, não consegui arranjar forma de o puzzle se encaixar novamente. O meu caminho divergiu do teu. Mas houve um momento, um segundo infinito em que se cruzaram, entrelaçaram-se e parecia tão certo. E tão rapidamente como entraste na minha vida e tomaste conta de tudo, desapareceste de vista, fugiste-me por entre os dedos. Fiquei de pé no meio da desordem, sozinha. E agora tudo o que resta é a minha vontade de voltar atrás no tempo, regressar aos momentos mais felizes contigo e apertá-los junto ao peito, agarrá-los com as duas mãos para nunca fugirem, colocá-los num frasco e deixá-los iluminar a escuridão em que me deixaste quando partiste com a tua luz. Não desistas de mim. Não sei como te dizer aquilo que quero dizer. Quero dizer a coisa certa, quero que entendas, quero que escutes com atenção. Mas já te perdi. Perco sempre.

Next Time

Da próxima vez digo-te que não. Da próxima vez serei mais forte, ponho-me a mim em primeiro lugar. Vou pensar duas vezes, não vou deixar que me atordoes, que me faças levitar e esquecer a razão. Da próxima vez não me vais tomar como certa. Da próxima vez não rastejo, não suplico, não me iludo com o teu olhar, não cedo ao teu toque. Da próxima vez. Hoje não. Hoje dispo-me de orgulho, de mágoas, de passado e deixo que ocupes todo o espaço, todo o vazio. Hoje sou tua sem pudor, entrego-me sem medos. Hoje esqueço-me do lado negro, rendo-me, perco-me. Hoje não me importo, não me faz mal, hoje está tudo bem. Da próxima vez prometo que é diferente, prometo que mudo o jogo, prometo que é de vez, que nunca mais, prometo que não te deixo ganhar. Mas hoje? Hoje quero afundar-me em ti, quero pensar que vivemos o mesmo sonho. Hoje vou absorver as tuas mentiras e adorar cada uma delas. Hoje só hás tu, nada mais. Hoje vou amar-te. Da próxima vez, não.